Astronomia Amadora

Página Inicial
Introdução
História
Notícias
Big Bang
Via Lactea
Cosmologia
Galáxia
Buraco Negro
Sistema Solar
Estrela
Constelações
Classificação estelar
Catálogo Messier
Astrônomos
Estrelas + brilhantes
Imagens
Instrumentos
Curiosidades
Programas
Glossário
Links
Livro de Visitas
E-mail

Porções de gesso são encontradas na superfície marciana

 

Imagem aproximada feita pela PanCam mostra os veios de gesso encontrados na superfície de marte pelo jipe-robô Opportunity.

Através de dados coletados pelo jipe-robô Opportunity, cientistas americanos descobriram que alguns veios brilhantes encontrados na superfície do Planeta Marte são na verdade fragmentos de gesso depositados pela água, confirmando novamente que o elemento já correu pela superfície marciana.

A descoberta foi apresentada durante a conferência da União Geofísica Americana e deverá ampliar ainda mais o conhecimento que os cientistas têm da história ambiental do planeta vermelho.

Para Steve Squyres, principal investigador dos dados jipe-robô Opportunity junto à Universidade de Cornell, em Nova York, essa é mais uma evidência de que algum dia a água fluiu pelas fraturas das rochas. "Este material é um depósito de produtos químicos bastante puro e que se formou no lugar exato onde estávamos pesquisando. Na Terra isso é bastante comum, mas em Marte faz os geólogos saltarem das cadeiras", disse Squyres.

O veio examinado pelo jipe-robô tem entre cerca de 1.5 cm de largura e 45 cm de comprimento, erguendo-se alguns milímetros acima da cama de rochas onde foi encontrado, em um segmento da cratera Endeavour. Segundo os pesquisadores, nada parecido foi visto ao longo dos 33 km do percurso explorado pelo jipe durante os 90 meses desde que chegou à cratera.

Estudo

Para proceder a análise do material encontrado, os pesquisadores utilizaram o imageador microscópico e o espectrômetro de raios-x a bordo do Opportunity, além de diversos filtros da câmera panorâmica PanCam situada no topo do mastro do veículo. O resultado mostrou que os veios são formados por cálcio e enxofre, em uma proporção que indica sulfato de cálcio relativamente puro.

O sulfato de cálcio pode existir em muitas formas que variam de acordo com a quantidade de água que esteja à estrutura cristalina. Análises espectroscópicas feitas com auxílio dos múltiplos filtros da PanCam sugerem a forma de gesso, um sulfato de cálcio hidratado.

Observações feitas a partir da órbita marciana já haviam detectado amostras de gesso na região norte do planeta e que se assemelha às dunas brilhantes de gesso de White Sands National Monument, no Novo México.

Não se sabe ao certo como o veio se formou. Provavelmente foi formado a partir do cálcio de rochas vulcânicas dissolvido pela água, que se combinou com enxofre expelido das rochas ou na forma de gás. Em seguida, o material foi depositado já na forma de sulfato de cálcio em uma fratura subterrânea, que mais tarde se tornou exposta na superfície do planeta.

Comentários:


Política de privacidade  |  Mapa do Site