Astronomia Amadora

Página Inicial
Introdução
História
Notícias
Big Bang
Via Lactea
Cosmologia
Galáxia
Buraco Negro
Sistema Solar
Estrela
Constelações
Classificação estelar
Catálogo Messier
Astrônomos
Estrelas + brilhantes
Imagens
Instrumentos
Curiosidades
Programas
Glossário
Links
Livro de Visitas
E-mail

Vocabulário Astronômico - Letra "E"

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

- Eclipse

Resultado da passagem de um objeto celeste pela sombra de outro. Os nomes dos eclispes são dados de acordo com o corpo celeste cuja visão é bloqueada.

- Eclipse Anular

O significado de anular em latim é "como um anel". Os eclipses anulares acontecem quando a Lua, por se encontrar no ponto mais distante de sua órbita elíptica,   está muito pequena para cobrir completamente o Sol durante um eclipse. Isto faz com que apareça um anel ("annulus") de luz solar. Embora a Lua bloqueie a maior parte da luz do Sol, nao fica escuro o suficiente para que se possa ver a coroa solar, além do que não é seguro observar o eclipse com os olhos desprotegidos.

- Ecíptica

Plano em que a Terra gira em torno do Sol. Seu nome advém dos eclipses solares e lunares que ocorrem quando a lua atravessa este plano. A maioria dos planetas têm suas órbitas próximas ao plano da eclíptica. A eclíptica não é perfeitamente perpendicular ao eixo de rotação da Terra, sendo 23,50 inclinada em relação ao equador terrestre. Este ângulo também é conhecido como obliqüidade da eclíptica.

 

- Edwin Eugene Aldrin

Co-piloto da primeira missão de aterrissagem lunar, em 20 de julho de 1969. Como assistente de Neil Armstrong, tornou-se o segundo ser humano a pisar na superfície da Lua, no passeio de duas horas e meia na superfície lunar, durante a missão Apolo 11.

- Efeito Dopler

É o efeito que se revela como um deslocamento no espectro de um objeto devido a uma variação no comprimento de onda da luz emitida por ele. Este efeito ocorre quando o objeto que emite a radiação luminosa está ou se movendo na direção de um observador (no caso a Terra) ou se afastando deste mesmo observador.

- Efemérides

Registro das localizações no passado, no presente e no futuro de um cometa, planeta ou satélite. Embora seja relativamente simples prever as localizações dos planetas e dos satélites, a dos cometas é mais complicada já que apenas parte de suas órbitas é visível.

- Elara

Elara (JVII) é o 12o satélite de Júpiter, e foi descoberto, em 1905, por C. Perrine (Estados Unidos). Muito pouco se sabe sobre ele. Com uma massa de 8 x 1017 kg, e um diâmetro de 80 km, Elara está em órbita a 11737000 km de Júpiter. Ele realiza uma volta completa em torno de Júpiter a cada 259,6528 dias terrestres.

- Elemento químico

Um elemento químico é uma substância quimicamente pura composta por átomos de um único tipo. O mais leve dos elementos é o hidrogênio, que compõe quase 80% do Universo. Depois dele vem o hélio, que compõe um pouco menos do que 20% do Universo. Outros elementos comuns são o oxigênio, nitrogênio, silício, ferro e carbono. Os elementos químicos ou têm origem cosmológica ou são criados nos interiores das estrelas. A maioria das estrelas funde átomos de hidrogênio, formando hélio. Os elementos mais pesados também são criados dentro das estrelas. Cada átomo em nossos corpos foi feito em uma estrela.

- Elongação

Ângulo entre dois corpos celestes.

- Emergência Pupilar (Eye Relief)

É a distância onde a luz que sai da lente ocular de um telescópio ou binóculo converge. Neste ponto deve ser posicionado o olho para máximo conforto sem obstrução do campo de visão.

Cada modelo de lente ocular para telescópio costuma trazer especificada sua respectiva emergência pupilar. Existem lentes oculares que são especialmente desenvolvidas para terem emergência pupilar generosa, acima de 15mm ou mais, visando maior conforto para quem precisa utilizar óculos.

- Enceladus

Enceladus Enceladus (SII) é um dos 18 satélites de Saturno e foi descoberto em 1789 por W. Herschell (Reino Unido). Com um diâmetro de, aproximadamente, 498 quilômetros, Enceladus está em órbita a uma distância média de 238020 quilômetros e completa o seu movimento em torno de Saturno em cerca de 33 horas. Enceladus reflete quase toda a luz solar que o alcança e é um satélite muito frio, com uma temperatura de 72,15 K (Kelvins) (-201o C) na sua superfície.

- Energia

Um dos conceitos mais fundamentais de toda a Física e também um dos mais deformados pela linguagem diária. Para a Física, energia é a capacidade de um sistema físico de realizar trabalho. Em termos comuns ela é o calor ou a potência usável. A energia pode se apresentar de várias formas, seja como energia cinética, energia potencial, energia de calor, energia nuclear, energia química e até mesmo a estranha energia que existe no vácuo do espaço-tempo. A energia pode mudar de uma forma para outra. Associado ao conceito de energia está uma das principais regras sobre a qual a Física se apóia, o "Princípio de Conservação da Energia", que nos diz que todas as formas de energia são equivalentes e nenhuma delas pode desaparecer sem que a mesma quantidade apareça sob alguma outra forma de energia. Um grande exemplo deste princípio são as reações nucleares, seja a fissão nuclear ou a fusão nuclear, onde a massa dos elementos é convertida em energia.

- Energia Eletromagnética

É a energia transportada por um campo eletromagnético. Os campos elétrico e magnético ao se propagarem no espaço transportam energia sob a forma de radiação eletromagnética. Tecnicamente, a energia eletromagnética é representada pelo chamado vetor de Poynting.

- Epimeteus

Epimeteus Epimeteus (SXI) é um dos 18 satélites de Saturno e foi descoberto a partir de trabalhos feitos pelos astrônomos R. Walker em 1966 e J. Fountain e S. Larson em 1978. É um satélite gelado, com um diâmetro de, aproximadamente, 200 km e uma forma bem irregular, coberto por estrias, vales e crateras, algumas com mais de 30 km de diâmetro. Ele está em órbita a uma distância média de, aproximadamente, 151422 km e dá uma volta completa em torno de Saturno em cerca de 4 horas. Curiosamente, Epimeteus, compartilha sua órbita com o satélite Janus, estando separados por apenas 50 km. Uma vez a cada 4 anos Epimeteus e Janus se aproximam suficientemente um do outro de modo que as perturbações gravitacionais mútuas provocam uma troca de momentum angular e o satélite que está em uma trajetória mais externa se move para uma trajetória mais interna e vice versa.

- Equações de Maxwell

Conjunto de 4 equações que rege todos os fenômenos elétricos e magnéticos que ocorrem no Universo. Estas equações já haviam sido estabelecidas, experimentalmente, por Oersted, Faraday, Ampere e outros físicos do século XIX. Foi Maxwell que, além de modificar uma delas, mostrou que este conjunto de 4 equações representava o processo de propagação ondulatória da luz. Ele mostrou que a luz é de natureza eletromagnética e, a partir disto, a óptica passou a estar intimamente ligada ao eletromagnétismo. A emissão eletromagnética, ou seja, a luz que recebemos das estrelas, nebulosas ou galáxias, obedece a este conjunto de equações. Mais ainda, todo o espectro eletromagnético, seja na região de raios X, raios gama, etc, independentemente da frequência na qual a radiação está sendo emitida, é regido por estas equações.

- Equador Celeste

Projeção do equador da Terra na esfera celeste.


 

-Equilíbrio Hidrostático

É o equilíbrio que existe entre a compressão produzida pelo peso do material que está acima de uma determinada camada de uma estrela e a expansão que está sendo produzida pela pressão, dirigida para fora, que é gerada pelos gases que estão situados abaixo desta camada. Em estrelas normais e atmosferas planetárias, a pressão dirigida para fora é fornecida pela pressão térmica de gases mornos ou quentes. O equilíbrio hidrostático é fundamental em todos os corpos celestes. Durante a vida de uma estrela ele é rompido várias vezes o que provoca a contração ou a expansão da estrela. Estas fases, quando o equilíbrio hidrostático é rompido, são chamadas de fases de instabilidade. Para que a estrela possa sobreviver, vários processos físicos ocorrem no interior da estrela e restabelecem o equilíbrio entre a pressão para fora e a ação da gravidade que produz a compressão do material estelar. Quando este equilíbrio é rompido de modo absoluto a estrela ou explode como uma supernova ou colapsa como um buraco negro.

- Equinócio

Ocasião em que o Sol cruza o equador celeste, fazendo com que a duração do dia e da noite seja igual no mundo todo. O equinócio de outono acontece por volta do dia 23 de setembro e o equinócio de primavera, ou vernal, por volta do dia 21 de março.

 

 

 

- Eratóstenes de Cirene

Eratóstenes (276 - 194 a.C.) foi um matemático, bibliotecário e astrônomo grego. Nasceu em Cirene,Grécia, e morreu em Alexandria. Estudou em Cirene, em Alexandria e Atenas.

Eratóstenes  foi  a  primeira  pessoa  a  medir  corretamente  o tamanho da Terra.   Ele utilizou o ângulo formado pela sombra do Sol ao meio-dia em duas cidades, Alexandria e Cirene, e a distância entre estas cidades para determinar uma proporção em relação aos 360º de um círculo e o tamanho desconhecido da Terra.

- Escala de Torino

Os cientistas planetários desenvolveram uma nova maneira de tornar conhecido os riscos associados com asteroides ou cometas que se movem próximos à Terra e podem colidir com ela criando uma escala de importância, semelhante à Escala de Richter que é usada para avaliar terremotos. Esta é a Escala de Torino, uma escala de determinação de risco, que varia de 0 a 10, e serve para mostrar os perigos potenciais associados com asteroides e cometas que podem atingir a Terra. A Escala de Torino anota a energia cinética (incorporando tanto massa como velocidade) versus a probabilidade de colisão para vários objetos. Um objeto com um valor 0 ou 1 praticamente não terá chance de causar qualquer dano à Terra. Um objeto classificado como 10 significa que haverá, certamente, uma catástrofe climática global. Esta escala foi criada pelo Dr. Richard P. Binzel, do MIT

- Esfera celeste

Esfera imaginária de raio unitário (muito grande), com centro na Terra, e na qual representamos as posições dos astros.

- Espaço-tempo

Estrutura quadri-dimensional (4-dimensional) na qual os eventos físicos acontecem. Este conceito, introduzido por Albert Einstein, combina as três dimensões do espaço em que vivemos com o tempo, que é tratado como uma quarta dimensão. Deste modo, ao invés de pensarmos em coordenadas espaciais (3) e tempo, consideramos sempre que os eventos físicos estão ocorrendo em um espaço-tempo a 4 dimensões. Este conceito de espaço-tempo 4-dimensional emerge naturalmente como uma estrutura fundamental na Teoria da Relatividade Restrita proposta por Einstein.

- Espectro

Toda a variedade de radiação eletromagnética com comprimentos de onda que vai desde os raios gama até as ondas de rádio. Freqüentemente as pessoas usam esta palavra para quando se referem à parte visível do espectro, que é a projeção das cores do arco-íris.

- Espectro contínuo

É um espectro de luz emitida que contém todos os comprimentos de onda das cores que compõem a luz branca (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta se formos dos comprimentos de onda mais longos para os mais curtos). Os espectros contínuos são emitidos por sólidos incandescentes, líquidos, ou gases comprimidos. Várias estrelas, como, por exemplo, o nosso Sol, emitem espectros contínuos nos quais as cores se fundem umas nas outras, estando a cor vermelha em uma das extremidades e a cor azul na outra extremidade.

 

- Espectro de Absorção

Se algumas linhas discretas estão faltando em um espectro, ele é um espectro de absorção, indicando a presença de elementos que absorvem comprimentos de ondas particulares. Um espectro de absorção é criado quando a luz proveniente de uma fonte incandescente passa através de um gás mais frio que absorve fótons. Cada molécula e elemento diferente absorve a luz em um conjunto único de frequências. O espectro de absorção consiste de linhas de absorção escuras superpostas sobre um espectro contínuo brilhante. Um exemplo de espectro de absorção é aquele produzido nas atmosferas estelares. No caso do Sol, os gases quentes da atmosfera solar estão situados entre nós e a fonte de altíssima temperatura que está no seu interior. Esta atmosfera absorve certas frequências deixando linhas escuras sobre o seu espectro contínuo. Os astrônomos podem determinar a composição dos gases em uma estrela procurando as frequências características das linhas de absorção.

 - Espectro de emissão

É um espectro descontínuo, mostrando bandas brilhantes discretas, que é emitido por átomos ou moléculas. O espectro de emissão é característico dos elementos químicos que estão emitindo os fótons. Quando aquecidos, os compostos e elementos individuais freqüentemente liberam uma ou dúzias de linhas de emissão.

 

 

- Espectro Eletromagnético

É o intervalo inteiro dos tipos diferentes de radiação eletromagnética, ou ondas eletromagnéticas. O espectro eletromagnético abrange um amplo intervalo de comprimentos de onda (e frequências) indo desde ondas muito longas, e consequentemente baixas frequências, que são as ondas de rádio, passando pelas ondas infravermelho e ondas de luz visível até chegar a frequências muito altas (o que corresponde a comprimentos de ondas curtos ou, simplesmente, ondas curtas) dos raios gama e raios X. Os comprimentos de onda no intervalo da luz visível tem uma cor específica associada com cada um deles quando eles passam através de um prisma. As frequências mais baixas, comprimentos de onda mais longos, produzem a cor vermelha enquanto que as frequências mais altas, comprimentos de onda mais curtos, produzem a cor violeta. Aqueles comprimentos de onda que caem em algum lugar entre estes dois pontos produzem as cores laranja, amarelo, verde, e azul que também são encontradas na região do visível dos espectros eletromagnéticos.

 - Espectrógrafo

Instrumento localizado no foco de um telescópio que registra o espectro de um corpo celeste. Os espectrógrafos são muito importantes na Astronomia, pois permitem o estudo e a classificação do espectro das estrelas e das galáxias.

- Estações do ano

Período de, aproximadamente três meses limitado por um equinócio ou por um solstício.

 - Estrela cadente

Nome popular para Meteoro.

 - Estrela dupla

Duas estrelas que descrevem uma órbita em torno de um centro comum de gravidade.  Acredita-se que 46% de todas as estrelas sejam formadas por sistemas de estrelas duplas, e 39% destas estrelas fazem parte de sistemas múltiplos com três ou mais  estrelas.

 - Eudóxio de Cnidos

Astrônomo grego que criou um complicado sistema de esferas para explicar a movimentação dos planetas, pois ele acreditava, assim como Aristóteles, que tudo nos céus era perfeito e se movia em órbitas circulares. Ele também introduziu a geometria na astronomia, e pode ter sido o criador de um método geométrico de cálculo da distância entre a Terra e o Sol e a Lua.

- Eugene Antoniadi

Astrônomo francês que produziu ótimos mapas siderais, traçando a localização de Mercúrio e Marte. Antoniadi inventou a escala de Antoniadi, que fornece uma medida da qualidade de observação (chamada visão). O número 1 na escala de Antoniadi significa um céu perfeito enquanto o valor 5 representa exatamente o oposto.

- Europa

Europa Europa (JII) é um satélite de Júpiter que foi descoberto, independentemente, em 1610 por Galileu (Itália) e Simon Marius(Alemanha). Embora tenha um diâmetro menor do que 3138 km, e seja, portanto, menor do que a nossa Lua, Europa é um satélite grande, denso e congelado. Sua superfície é coberta com sulcos longos que se cruzam, poucas crateras, e ácido sulfúrico congelado. Ele está a uma distância média de Júpiter de, aproximadamente, 670900 km e realiza uma rotação em torno de Júpiter no período de 3,55 dias. Sua massa é de 4,80 x 1022 kg.

- Excentricidade orbital

É uma medida de como uma órbita se desvia de ser circular. Uma órbita perfeitamente circular tem uma excentricidade zero. Números maiores que zero indicam órbitas elípticas, parabólicas e hiperbólicas. Uma excentricidade entre 0 e 1 representa uma órbita elíptica. Uma órbita parabólica tem uma excentricidade igual a 1. Uma órbita hiperbólica tem uma excentricidade maior do que 1. Netuno, Vênus e a Terra são os planetas com as órbitas menos excêntricas em nosso Sistema Solar. Plutão e Mercúrio são os planetas com as órbitas mais excêntricas em nosso Sistema Solar.

- Exobiologia

Procura por vida extraterrestre, incluindo o estudo da composição dos outros planetas. Este campo é também chamado de astrobiologia.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Política de privacidade  |  Mapa do Site