Astronomia Amadora

Página Inicial
Introdução
História
Notícias
Big Bang
Via Lactea
Cosmologia
Galáxia
Buraco Negro
Sistema Solar
Estrela
Constelações
Classificação estelar
Catálogo Messier
Astrônomos
Estrelas + brilhantes
Imagens
Instrumentos
Curiosidades
Programas
Glossário
Links
Livro de Visitas
E-mail

Vocabulário Astronômico - Letra "T"

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z

- Telescópio

Equipamento que coleta e foca a luz dos corpos celestes num ponto.

- Telescópio catadióptrico

Ao  invés de utilizar somente espelhos ou somente lentes como objetiva, um telescópio catadióptrico utiliza uma combinação de elemento refletores (espelhos) e refratores (lentes) ao mesmo tempo. São exemplos os Schimidt Cassegrain, Maksutov Cassegrain, Schimidt Newtoniano, entre outros.

Este fato não traz nenhuma vantagem implícita para estes telescópios, é apenas uma maneira diferente de executar a mesma função.

- Telescópio refletor

Telescópio que concentra a luz por meio de espelhos reflexivos ao invés de lentes. São muito comuns e todo telescópio grande costuma ser do tipo refletor. O  tipo mais famoso é o refletor newtoniano desenvolvido há muito tempo por Isaac Newton. Existem muitos outros tipos como Ritchey-Chériten, Dall-Kirkham, cassegrain clássico, etc.

- Telescópio refrator

Também chamado de luneta, é um telescópio que concentra a luz por meio de uma lente  objetiva.

- Telesto

Telesto Telesto (SXIII) é um dos 18 satélites de Saturno tendo sido descoberto, em 1980, por B. Smith, H. Reitsema, S. Larson e J. Fountain (Estados Unidos). Sua forma é irregular, com diametro de 29 km e dimensões aproximadas de 34 x 28 x 26 km. Telesto está em órbita a 294660 km do centro de Saturno e compartilha esta órbita com Calipso. Estes dois satélites, Telesto e Calipso, também são chamados de Tetis Troianos uma vez que eles orbitam em torno de Saturno na mesma órbita de Tetis. Telesto está 60o à frente de Tetis e Calipso está 60o atrás.

- Temperatura

É uma medida de quão quente ou frio alguma coisa está, ou seja, quanta energia de calor ela tem. A temperatura é essencialmente uma medida de quão rápido as partículas em um corpo estão se movendo (ou vibrando). Existem várias escalas de temperatura diferentes mas na Astrofísica usamos a escala absoluta de temperatura ou escala Kelvin.

- Tempo Universal (TU)

O tempo universal está relacionado com o movimento (aparente) do Sol no meridiano de Greenwich (longitude 0). O TU serve de base à hora legal da Grã-bretanha. O nosso planeta é dividido em zonas horárias que correspondem à UT adicionada em n horas a este de Greenwich e subtraída de n horas a Oeste de Greenwich. É conveniente usar a a UT para cálculos de eventos astronômicos, pois é simples calcular a hora local. No caso do Brasil, o horário oficial de Brasília corresponde à TU - 3, sendo assim quando o TU marca 20:00 hs aqui está marcando 17:00 hs.

- Teoremas de Noether

São teoremas que demonstram que as simetrias que ocorrem na natureza é dão origem às quantidades conservadas. Por exemplo, a simetria translacional, ou seja o fato de que as leis da física funcionam do mesmo modo em qualquer lugar, dão origem à conservação do momentum, uma vez que posição e momentum são complementares. Além disso, a conservação da energia é indicada pela simetria temporal e a conservação do momentum angular é indicada pela isotropia.

- Teoria da inflação

É um modelo da evolução primordial do Universo que envolve sua expansão exponencial. Esta fase hipotética na evolução do Universo primordial foi introduzida para explicar a isotropia observada do Universo em uma grande escala e o fato de que a sua densidade está dentro de um fator de 10 da densidade crítica. Na versão mais popular desta teoria, a expansão exponencial está associada com uma mudança de fase que ocorreu, aproximadamente, 10-34 segundos depois do começo do Big Bang. De acordo com as teorias de grande unificação das partículas elementares, a força forte desacoplou da força eletrofraca (uma força que unifica a força eletromagnética e a força nuclear fraca) nesta época. Este evento liberou uma energia enorme, armazenada até então no vácuo do espaço-tempo. Este cenário pode explicar a vasta extensão atual do Universo e a sua uniformidade.

- Teoria do Big Bang

A teoria do Big Bang é a teoria mais aceita até agora para descrever a origem e evolução do Universo. Esta é uma teoria de cosmologia que estabelece que o Universo se formou e começou a se expandir como resultado de uma super poderosa explosão primordial. De acordo com a teoria do Big Bang, toda a matéria e energia do Universo estava originalmente contida em um "ponto" muito pequeno, tecnicamente conhecida como uma "singularidade", a uma densidade e temperatura quase infinitas. Aproximadamente 10 a 20 bilhões de anos atrás este pequeníssimo Universo começou a expandir, e desde então não parou de fazê-lo. A teoria foi primeiro esboçada pelo físico russo George Gamow no final da década de 1940. Em geral, esta teoria é citada apenas como "Big Bang". Este nome foi dado a ela, de um modo sarcástico, por um de seus opositores, o cientista inglês Fred Hoyle. No entanto, somente quando a radiação de fundo de microondas cósmica foi descoberta, em 1964, é que a comunidade astronômica começou a considerar seriamente esta teoria. Atualmente, além do fundo de microondas cósmico, dois outros pilares apóiam a teoria do Big Bang: a atual expansão do Universo e a abundância medida doa elementos químicos leves.

- Teoria dos Strings

Uma teoria na qual os constituintes fundamentais da matéria não são as partículas elementares mas pequeníssimos objetos uni-dimensionais, os quais podem ser imaginados como "cordas". Estes strings são tão diminutos, com um comprimento de apenas 10-33 centímetros, que, mesmo nas atuais energias disponíveis nos laboratórios de física de altas energias, eles parecem se comportar exatamente como partículas. Deste modo, de acordo com a teoria dos strings, o que nós chamamos de "partículas elementares" são, na verdade, pequeníssimas "cordas", e os diferentes modos de vibração destas "cordas" é que caracteriza uma determinada "partícula elementar". Os strings seriam, portanto, os elementos mais fundamentais da natureza.

- Teoria dos Superstings

Um novo tipo de teoria na Física que unifica as forças fundamentais da natureza, inclusive a força gravitacional, e que poderia ser capaz de explicar TODAS as leis fundamentais e as partículas que existem no nosso Universo. Na teoria dos superstrings o constituinte básico da matéria é uma estrutura a uma dimensão (1-dimensional), chamada string, em vez de uma estrutura de partículas puntiformes como é considerado na atual física de partículas elementares. A teoria dos superstrings é, portanto, a teoria dos strings à qual é incorporada a supersimetria.

- Tereshkova

Valentina Vladimirovna Tereshkova 1937-. Coronel engenheira Valentina Tereshkova foi uma cosmonauta da União Soviética e a primeira mulher a ir ao espaço. Ela participou sozinha da missão Vostok 5, que foi lançada em 16 de junho de 1963 e realizou 88 voltas em torno da Terra. O seu vôo durou 2,95 dias e a sua espaçonave foi recuperada em 19 de junho de 1963 na União Soviética.

- Terra

TerraO nosso planeta. A Terra, terceiro planeta a partir do Sol, tem dois terços da sua superfície coberto por água. Esta senhora com 4,6 bilhões de anos protege-se atrás de uma atmosfera, composta na maior parte por oxigênio, e pela presença de um extenso campo magnético. É esta atmosfera que dá ao nosso planeta a capacidade de ser, até o momento, único entre todos os outros que formam o Sistema Solar: nele existe vida.

- Tetis

Tetis Tetis (SIII) é um dos maiores dos 18 satélites de Saturno e foi descoberto, em 1684, por G. D. Cassini (Itália). Ele tem um diametro com cerca de 1000 km. Sua órbita está a uma distância média de, aproximadamente, 294000 km de Saturno e seu período orbital é de 45,3 horas. Tetis é um satélite congelado, fortemente craterizado, e que tem várias fendas e planícies. Sua superfície apresenta uma enorme vala no gelo, o Ithaca Chasma, com uma largura de até 100 km e profundidade de cerca de 3 km e que se estende por mais de 270o em torno do satélite, ou seja 3/4 da superfície total. Tetis tem uma composição interior de água-gelo, com densidade de 1,21 g/cm3. Sua temperatura da superfície é de 86,15 K (Kelvins) (-187 o C).

- Thalassa

Thalassa Thalassa é um pequenino satélite de Netuno descoberto em 1989 pela sonda espacial Voyager 2, da NASA. Ele tem aproximadamente 80 km de diametro e está em órbita a 50070 km do centro de Netuno.

 

- Thebe

Thebe Thebe (JXIV) é o quarto mais próximo dos 16 satélites de Júpiter tendo sido descoberto, em 1979, por Stephen P. Synnott (Estados Unidos) a partir de dados da Voyager 1. Ele tem um diâmetro de 100 km com as dimensões de 100 x 90 km e uma massa de 7,77 x 1017 kg. Sua órbita está a 222000 km de Júpiter e ele realiza uma volta completa em torno deste planeta em 0,6745 dias terrestres. Sua rotação é síncrona, o que significa que ele sempre mantém a mesma face voltada para o planeta Júpiter. Amaltéia e Thebe provavelmente fornecem a poeira para o anel Grossamer.

- Thomas Wright

1711-1786. Nascido em Durham, norte da Inglaterra, este cosmólogo britânico foi uma das primeiras pessoas, juntamente com Johann Lambert e Immanuel Kant, a especular sobre a estrutura e origem do Sistema Solar e da nossa Galáxia. Wright publicou em 1750 o livro An Original Theory of the Universe onde apresentava novas idéias sobre a Via Láctea. Usando argumentos religiosos e filosóficos, Wright levantou a hipótese de que a Via Láctea era um sistema achatado e delgado de estrelas com o nosso Sistema Solar próximo ao centro e que haveriam outros sistemas estelares distantes porém similares, os quais ele chamou de "nebulae".

- Titã

Titan Titã (SVI) é o maior dos 18 satélites de Saturno tendo sido descoberto, em 1655, por C. Huygens (Holanda). Com um diametro de 5150 km, Titã é o segundo maior satélite de todo o Sistema Solar, só sendo superado por Ganimedes, que é um satélite de Júpiter. Titã é maior do que os planetas Mercúrio e Plutão. Titã é o único satélite que sabemos ter uma atmosfera densa. Ela consiste principalmente de nitrogenio, com algum metano, e sua pressão atmosférica é de 1,6 bar, cerca de 60% maior do que a pressão atmosférica da Terra. Esta atmosfera, com suas nuvens pesadas, obscurece a superfície de Titã. A temperatura da sua superfície é de, aproximadamente, 95 K (Kelvins) (-178o C).

 - Titania

Titania Titania (UIII) é o maior dos 18 satélites de Urano e foi descoberto em 1787 por W. Herschel (Reino Unido). Com um diâmetro de 1578 km ele tem, aproximadamente, metade do tamanho da nossa Lua. Sua massa é de 3,49 x 1021 kg. Sua órbita está localizada a uma distância média de 435840 km. Sua superfície é coberta por várias pequenas crateras, algumas enormes bacias de impacto, rochedos íngremes de gelo e linhas de falhas.

 - Tritão

Tritão Tritão é o maior de todos os satélites de Netuno e foi descoberto, em 1846, por William Lassel (Reino Unido). Ao contrário de todos os outros grandes satélites naturais, Tritão tem uma órbita retrógrada, ou seja, ele roda em oposição à rotação de Netuno. Tritão é o mais frio de todos os objetos que já foram medidos no nosso Sistema Solar, com uma temperatura de 38,15 K (Kelvins) (-235 o C). Este satélite rochoso tem uma capa de gelo polar em seu polo sul e muitos outros aspectos geológicos variados incluindo vulcões, enormes fendas na superfície e geiseres de nitrogênio gasoso. Tritão também tem uma atmosfera rarefeita e enevoada composta principalmente de nitrogênio. Sua superfície tempestuosa está coberta por gelo de nitrogênio. Tritão está lentamente espiralando na direção de Netuno.

- Trópico de Câncer

Ponto mais distante ao norte do Equador onde a luz do Sol pode incidir perpendicularmente. O Sol fica sobre esta latitude (23,5º) durante o solstício de verão.

- Trópico de Capricórnio

Latitude  mais  distante  ao sul  (-23,5º)  onde  o  Sol pode  incidir perpendicularmente. Este fato ocorre no solstício de inverno.

- Tycho Brahe

Astrônomo dinamarquês que pretendia estudar Direito, porém ficou tão impressionado pela visão de um eclipse solar em 1560 que decidiu estudar astronomia. Após descobrir que os estudos das estrelas existentes na sua época não eram acurados, decidiu fazer a sua própria análise. Suas observações, que de tão precisas foram utilizadas por Kepler como base para o cálculo de suas leis sobre o movimento planetário, questionaram a visão difundida de um universo sideral imutável. Em 1572, ele descobriu a supernova da Constelação de Cassiopéia que foi chamada de Supernova de Tycho. Contudo Brahe acreditava que o universo era geocêntrico, mesmo após o aparecimento de um cometa em 1577 que demonstrou que os planetas não orbitavam a Terra em esferas de cristal. Apesar de descartar a hipótese das estrelas estarem localizadas num globo que circundava a Terra,ele acreditava que todos os corpos celestes estavam na órbita da Terra. Ele propôs um sistema no qual os outros planetas e os cometas orbitavam o Sol enquanto o Sol e a Lua orbitavam a Terra.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z


Política de privacidade  |  Mapa do Site