Astronomia Amadora

Página Inicial
Introdução
História
Notícias
Big Bang
Via Lactea
Cosmologia
Galáxia
Buraco Negro
Sistema Solar
Estrela
Constelações
Classificação estelar
Catálogo Messier
Astrônomos
Estrelas + brilhantes
Imagens
Instrumentos
Curiosidades
Programas
Glossário
Links
Livro de Visitas
E-mail

Planeta Júpiter

 

 
Planeta Júpiter
Características orbitais
Raio orbital médio:778,547,200 km
Periélio:740,573,600 km
Afélio:816,520,800 km
Excentricidade:0.048775
Período orbital:4331.572 dias
Velocidade orbital média:13.07 km/s
Inclinação:1.305°
Satélites naturais:63
Características físicas
Diâmetro equatorial:71,492 ± 4 km
Área da superfície:6.21796×1010 km²
Massa:1.8986×1027 kg
Densidade média:1.326 g/cm³
Aceleração gravítica á superfície:24.79 m/s²
Velocidade de escape:59.5 km/s
Período de rotação:9.925 horas
Inclinação axial:3.13°
Albedo:0.343
Temperatura a superfície:
minmédmáx

165 K
Atmosfera
Pressão atmosférica:20–200 kPa
Composição:89.8±2.0% de Hidrogênio
10.2±2.0% de Hélio
0.3% de Metano
0.026% de Amônia
0.0006% de Etano
0.0004% de Vapor de água

Júpiter é o maior planeta do sistema solar, e o quinto a partir do Sol. É conhecido pela Grande Mancha Vermelha e pelos seus quatro grandes satélites: Ganimedes, Europa, Io e Calisto. Júpiter é um dos planetas do sistema solar que têm anéis.

Panorâmica

Júpiter tem 2,5 vezes mais massa do que todos os outros planetas tomados em conjunto, de tal forma que o seu baricentro com o Sol se localiza acima da superfície solar (a 1,068 raios solares do centro do Sol). Tem 318 vezes mais massa do que a Terra, um diâmetro 11 vezes superior ao terrestre e um volume 1300 vezes maior que o da Terra. Foi apelidado por muitos de "estrela falhada". Mesmo assim, e por mais impressionante que Júpiter seja, já se descobriram vários planetas extra-solares com massas muito maiores. Por outro lado, pensa-se que Júpiter tenha um diâmetro tão grande como é possível a um planeta com a sua composição, visto que adicionar-lhe mais massa teria apenas como resultado aumentar a compressão gravitacional. Não existe uma definição inequívoca do que distingue um planeta grande e maciço, como Júpiter, de uma anã castanha, mas para que fosse uma estrela Júpiter teria de ter cerca de setenta vezes mais massa do que a que tem.

Júpiter tem também a rotação mais rápida de todos os planetas do sistema solar, o que resulta num achatamento facilmente visível através de um telescópio. A sua característica mais conhecida é provavelmente a Grande Mancha Vermelha, uma tempestade com ventos de até 500 km/h. É quase duas vezes maior que a Terra, e está ativa há cerca de 300 anos. O planeta está perpetuamente coberto por camadas de nuvens. Novas fotos tiradas pelo telescópio Hubble mostram uma nova mancha vermelha surgindo próxima à Grande Mancha Vermelha.

Júpiter costuma ser o quarto corpo mais brilhante no céu (depois do Sol, da Lua e de Vênus; por vezes, Marte aparece mais brilhante do que Júpiter, enquanto outras vezes Júpiter brilha mais do que Vênus). O planeta é conhecido desde os tempos antigos. A descoberta de Galileu Galilei em 1610 de quatro grandes satélites naturais gravitando ao redor de Júpiter, hoje chamados satélites galileanos (Io, Europa, Ganimedes e Calisto) foi a primeira descoberta de movimentos de corpos no espaço aparentemente não tendo a Terra como centro. Este foi o maior ponto a favor da teoria heliocentrista do movimento dos planetas, de Nicolau Copérnico; os discursos de Galileu em favor das teorias de Copérnico fizeram com que fosse julgado pela Inquisição.

Características físicas

Composição do planeta

Júpiter é composto de um centro rochoso relativamente pequeno, imerso em hidrogênio metálico, o qual é circundado por uma camada de hidrogênio líquido, recoberta por sua vez de gás hidrogênio. Não há uma fronteira clara entre essas camadas de diferentes densidades de hidrogênio; as condições variam lentamente do gás até a camada sólida à medida que se aprofunda.

Atmosfera

A atmosfera joviana é composta de aproximadamente 86% de hidrogênio, e 14% de hélio (pelo número atômico desses átomos, a composição atmosférica fica em torno de 76%/24% se considerarmos as massas, uma vez que o hidrogênio é mais leve que o hélio; com cerca de 1% da massa composta por outras substâncias menos significativas — o interior do planeta contém mais substâncias densas, sendo a composição por volta de 71%/24%/5%).

A atmosfera apresenta ainda traços de metano, vapor de água, amônia e substâncias sólidas. Há também quantidades desprezíveis de gás carbônico, etano, gás sulfídrico, néon, oxigênio e enxofre. Essa composição atmosférica é muito similar à composição da nebulosa solar. O planeta Saturno tem composição semelhante, mas Urano e Netuno têm muito menos hidrogênio e hélio.

A rotação da atmosfera superior de Júpiter não é constante em todos os seus pontos, um efeito notado primeiramente por Giovanni Domenico Cassini em 1690. A rotação da região polar da atmosfera do planeta é aproximadamente 5 minutos mais demorada do que na região equatorial da atmosfera. Além disso, grupos de nuvens em diferentes latitudes deslocam-se em diferentes direções, seguindo as correntes de vento. A interação desses padrões conflitantes de circulação causa tempestades e turbulência. A velocidade dos ventos pode atingir até 600 km/h. A camada mais alta da atmosfera contém cristais de amônia congelada.

Anéis planetários

Júpiter tem um sistema de anéis planetários composto por partículas de poeira cósmica, embora não tão evidente como Saturno.

Campo magnético

Júpiter tem um campo magnético muito forte. Se ele pudesse ser enxergado, a imagem dele visto da Terra teria o tamanho cinco vezes maior do que o disco da Lua cheia, apesar da grande distância. A força desse campo atrai um grande fluxo de partículas de radiação nos cinturões de radiação do planeta, produzindo também um forte fluxo de gás em forma de tubo associado com o satélite Io.

A nave Voyager 1 tirou essa foto do planeta Júpiter em 24 de Janeiro, enquanto estava a uma distância de mais de 40 milhões de quilômetros.

A nave Voyager 1 tirou essa foto do planeta Júpiter em 24 de Janeiro, enquanto estava a uma distância de mais de 40 milhões de quilômetros.


Júpiter visto através de telescópio doméstico de 180mm e fotografado por câmera comum de 8 megapixel.

Júpiter visto através de telescópio doméstico de 180mm e fotografado por câmera comum de 8 megapixel.

Exploração de Júpiter

Júpiter é conhecido desde tempos remotos, visível a olho nu no céu da noite. Em 1610 Galileo Galilei descobriu as quatro maiores satélites naturais de Júpiter usando um telescópio, a primeira observação de satélites naturais que não fossem a da Terra.

Algumas sondas visitaram Júpiter, todas elas de origem estado-unidense. A Pioneer 10 voou por Júpiter em Dezembro de 1973, seguida pela Pioneer 11 exatamente um ano depois. A Voyager 1 voou por lá em março de 1979, seguida pela Voyager 2 em Julho do mesmo ano. A sonda Galileo ficou em órbita em Júpiter em 1995, enviando uma subsonda na atmosfera de Júpiter conduzindo multiplos vôos por todas as luas de Galileo. A sonda Galileo também presenciou o impacto do Cometa Shoemaker-Levy 9 em Júpiter, enquanto ele se aproximava do planeta em 1994, dando uma vantagem única para este evento espetacular.

Depois da descoberta de um oceano líquido na lua de Júpiter Europa no final da sonda Galileo, que saiu de órbita em Setembro de 2003, a NASA está planejando uma missão dedicada para as luas congeladas. Espera-se que JIMO, o Orbitador das Luas congeladas de Júpiter (Jupiter Icy Moons Orbiter), seja lançado depois de 2012.

Satélites de Júpiter

Júpiter tem inúmeros satélites naturais em torno de si. Em 15 de Maio de 2003, Scott Sheppard publicou no jornal Nature a descoberta de 23 novos satélites de Júpiter. Isso aumentou o total de satélites conhecidos para 61. Hoje, Júpiter tem 63 satélites conhecidos.

NomeDiâmetro (km)Massa (kg)Raio orbital (km)Período orbital (d)Inclinação (°)(em relação ao equador de Júpiter)Grupo
Métis431.2E+17127 690(1)0.294780(2)0.000°Amalteia
Adrasteia26×20×167.5E+15128 690(1)0.29826(2)0.000°
Amalteia262×146×1342.1E+18181 170(1)0.49817905(2)0.360°
Tebe110×901.5E+18221 700(1)0.6745(2)0.901°
Io3660.0×3637.4×3630.68.9E+22421 700(1)1.769137786(2)0.050°Luas de Galileu
Europa3121.64.8E+22671 034(1)3.551181041(2)0.471°
Ganimedes5262.41.5E+231 070 412(1)7.15455296(2)0.204°
Calisto ou Calixto4820.61.1E+231 882 709(1)16.6890184(2)0.205°
Temisto86.9E+147 391 645129.82761115.346°Temisto
Leda201.1E+1611 097 245238.82415927.210°Himalia
Himalia1706.7E+1811 432 435249.72630529.590°
Lisiteia366.3E+1611 653 225256.99541325.771°
Elara868.7E+1711 683 115257.98488830.663°
S/2000 J 1149.0E+1312 570 575287.93104626.169°
Carpo34.5E+1317 144 875458.62481855.098° ?
S/2003 J 1211.5E+1217 739 540482.691255134.861° ?
Euporia21.5E+1319 088 435538.779839131.854°Ananke?
S/2003 J 321.5E+1319 621 780561.517739111.592°
S/2003 J 1821.5E+1319 812 575569.72801598.461°
Telxinoe ou Telxinoi21.5E+1320 453 755597.606695102.844°Ananke?
Euante34.5E+1320 464 855598.093368123.649°Ananke
Helique49.0E+1320 540 265601.401918120.908°Ananke?
Ortósia21.5E+1320 567 970602.619143101.861°
Iocasta51.9E+1420 722 565609.426611127.043°Ananke
S/2003 J 1621.5E+1320 743 780610.362159149.279°
Ananque ou Ananke283.0E+1620 815 225613.518491149.526°
Praxidique74.3E+1420 823 950613.904099132.099°
Harpalique41.2E+1421 063 815624.541797143.944°
Hermipe49.0E+1321 182 085629.809040149.058°Ananke?
Tione49.0E+1321 405 570639.802554116.088°Ananke
Mneme21.5E+1321 427 110640.768660147.647°
S/2003 J 1721.5E+1322 134 305672.751882139.842°Carme
Aitne34.5E+1322 285 160679.641347143.251°
Cale21.5E+1322 409 210685.323873133.342°
Taigete51.6E+1422 438 650686.674715140.521°
S/2003 J 1921.5E+1322 709 060699.124764140.956°
Caldene47.5E+1322 713 445699.326904119.572°
S/2003 J 1521.5E+1322 721 000699.676116109.168°Ananke?
S/2003 J 1021.5E+1322 730 815700.129403115.021°Carme?
S/2003 J 2321.5E+1322 739 655700.537990137.576°Pasife
Erinome34.5E+1322 986 265711.964625143.354°Carme
Aoede49.0E+1323 044 175714.656754112.763°Pasife
Calicore21.5E+1323 111 825717.806112141.240°Carme?
Calique51.9E+1423 180 775721.020662137.125°Carme
Euridome34.5E+1323 230 860723.358859143.033°Pasife?
S/2003 J 1421.5E+1323 238 595723.720459138.885°Pasife
Pasite21.5E+1323 307 320726.932963144.112°Carme
Cilene21.5E+1323 396 270731.098603115.507°Pasife
Euquelade49.0E+1323 483 695735.199980118.384°Carme
S/2003 J 421.5E+1323 570 790739.29396198.660°Pasife
Hegemone34.5E+1323 702 510745.500007150.314°
Arque34.5E+1323 717 050746.185469146.289°Carme
Carme461.3E+1723 734 465747.008062120.659°
Isonoe47.5E+1323 832 630751.646937118.554°
S/2003 J 911.5E+1223 857 810752.838751135.452°
S/2003 J 549.0E+1323 973 925758.341296117.922°
Pasife ou Pasifeia603.0E+1724 094 770764.082032143.037°Pasife
Sinope387.5E+1624 214 390769.779665146.657°
Esponde21.5E+1324 252 625771.603566112.409°
Autonoe49.0E+1324 264 445772.167762129.073°
Calírroe98.7E+1424 356 030776.543335131.895°
Megaclite52.1E+1424 687 240792.436947143.760°
S/2003 J 221.5E+1330 290 8451077.018006151.523° ?


Política de privacidade  |  Mapa do Site